Febre amarela revela ainda mais a ignorância da população

Note: This is an old post. The opinions and views expressed here may not reflect the author's current thinking.

Nos últimos dias ocorreram novos casos de febre amarela no país, alguns deles fatais, gerando um certo pânico nas pessoas em busca de vacinas, mesmo a maioria não estando e nem pretendendo viajar para áreas de risco, o que já demonstra um medo desnecessário. Como se sabe, a febre amarela é uma doença endêmica de certas regiões do país, ou seja, não é novidade pra ninguém.

O problema agora é que tem gente morrendo de superdosagem:

"BRASÍLIA - O Ministério da Saúde confirmou na noite desta sexta-feira que 31 pessoas já sofreram efeitos adversos causados pela vacina contra a febre amarela relacionados a superdosagem - recebimento de mais de uma dose em curto período de tempo. Duas pessoas estão em estado grave.

Em nota, o ministério informou que “a recomendação é que devem se vacinar apenas as pessoas residentes em locais de risco ou que pretendam viajar para essas regiões, caso não tenham recebido sua imunização desde 1999”. Repetir a dose poderia causar reações como febre, dor de cabeça, vômito, enrijecimento dos músculos e problemas neurológicos."

Ainda segundo o Estadão:

“De acordo com a nota da assessoria da secretaria, há 12 dias um jovem de 20 anos também apresentou reação. Ele foi internado porque relatou coceiras generalizadas e quadro de hepatite leve após tomar duas doses da vacina em um espaço de 48 horas. O rapaz não teve complicações e deixou o hospital antes mesmo de receber alta.”

Poxa, a vacina vale por 10 ANOS e o rapaz toma duas doses em menos de 48 HORAS? Além de ser burrice é egoísmo, já que a oferta é menor que a procura.

E ainda tem mais, agora num artigo do O Globo:

“Apesar dos alertas referentes ao perigo da revacinação, 31 pessoas tiveram reações adversas após tomar a vacina contra a doença. Nem todos os casos são de mais de uma dose seguida. Há também os que não poderiam ser imunizados, como mulheres grávidas, bebês com menos de seis meses de idade, alérgicos a ovo e pacientes com baixa imunidade por problemas de saúde.”

Pois é. Já imaginou se a gripe aviária chega ao Brasil? Eu não.